Núcleo da Tecnologia da Informação comemora redução da alíquota do ISS

Última atualização: 28/08/2013 12:00:00

O Núcleo de Tecnologia da Informação ligado à Associação Comercial e Industrial de São Miguel do Oeste – ACISMO, encaminhou no mês de junho, documento ao prefeito municipal, João Carlos Valar, a fim de informar sobre a criação de um núcleo tecnológico no setor de tecnologia da informação, com finalidade de desenvolver e fortalecer o setor no município e região.

O objetivo com a criação do núcleo é incentivar a instituição de um pólo tecnológico na cidade, com o apoio e incentivo do Governo do Estado de Santa Catarina. Um dos principais pontos do documento foi a redução da alíquota do ISS (Impostos sobre Serviços), de 4% para 2%, no ramo da tecnologia da informação.

O Projeto deu entrada na Câmara de Vereadores no mês de julho e chegou a ser aprovado pelas comissões e em primeira votação. Na segunda votação, apenas dois vereadores se colocaram contra a aprovação do projeto, a vereadora Maria Tereza Capra e o vereador Juarez da Silva. Na noite de ontem, 27/08, o projeto de lei foi aprovado, reduzindo assim, a alíquota de 4% para 2%.

O coordenador do Núcleo de Tecnologia da Informação, Miguel Bocalon, comemora a aprovação. “Essa adequação era necessária para que este tributo fosse mais justo e correto. São Miguel do Oeste, com esta medida, se alinha a vários municípios que já estão na vanguarda no que se refere a buscar o desenvolvimento tecnológico, e também, já se beneficiando deste desenvolvimento do segmento, no que tange principalmente, a ter uma grande participação no crescimento econômico e na geração de empregos qualificados no município”, salienta.

Conforme Bocalon, esse incentivo fiscal vai proporcionar maiores investimentos no setor, além de crescer e desenvolver o núcleo dentro da expectativa criada. “Foi dado o primeiro passo de uma grande caminhada. Mostraremos que nosso trabalho e esforço para a redução da alíquota não foi em vão, este projeto é viável, sério, muito bem embasado e principalmente, sem interesses políticos. Faz parte de uma nova visão administrativa voltada para o futuro onde todos os segmentos (comercial, serviços e indústria) podem se beneficiar. O segmento de tecnologia em si, não se beneficia única e exclusivamente, mas a toda uma cadeia de produção em qualquer segmento para a qual esta tecnologia esteja voltada, inclusive, ajudando os governos, municipal, estadual e federal a terem uma gestão e controle das tarefas administrativas, gerencias e fiscais  que norteiam a atividade econômica dos setores, mais enxutas e eficazes”, finaliza. 

CADASTRE-SE

Receba novidades

Loading