Entidades querem mais atenção à segurança pública

Última atualização: 05/03/2015 12:00:00

O Conselho das Entidades de São Miguel do Oeste, formado pela ACISMO, CDL, SINDICOMÉRCIO, SINDUSCON, SINDIVESTUÁRIO, ACATS, SINDICONT, SINIDGRÁFICOS, SINDIMECÂNICAS, SINDIALIMENTAÇÃO, vice-presidência da FIESC, vice-presidência da FCDL, vice-presidência da FECOMÉRCIO, Associação dos Criadores de Bovinos e Delegacia Regional de Contabilidade, encaminhou, nesta semana, um ofício ao Deputado Estadual, Maurício Eskudlark, solicitando agilidade no término de implantação do sistema de câmeras de monitoramento na cidade, que está parado há mais de dois anos. Até agora, somente as estruturas foram instaladas.

No documento, o Conselho ressalta a preocupação com a segurança pública municipal e que os sistemas de segurança nas cidades são, hoje, um dos grandes gargalos do País. “Essa dura realidade não se concentra somente nas capitais, mas também nas cidades de interior. Dessa forma precisamos gerenciar medidas para levar à população um ambiente mais seguro, fazendo com que os índices de criminalidade diminuam significativamente”, ressaltou o presidente do conselho, Vilmar Lima de Souza.

Noutro trecho, o ofício relata os empresários demonstram grande preocupação com o sistema de segurança do município, devido a periodicidade de registro de crimes com furtos e roubos em estabelecimentos comerciais, além de outras formas de criminalidade. 

Há mais de dois anos, com o objetivo de proteger o cidadão, a Administração Municipal de São Miguel do Oeste, a Secretaria de Segurança Pública e Cidadania de Santa Catarina e Poder Judiciário da Comarca, assinaram um convênio para instalação de câmeras de vigilância e monitoramento no município, entretanto, nenhuma câmera foi instalada.

Assim, o Conselho das Entidades pede  a intervenção, junto às autoridades competentes, para a instalação e operação das câmeras de vigilância e monitoramento o mais rápido possível.              

 

CADASTRE-SE

Receba novidades

Loading