​Entidades colocam frente à frente postulantes ao Executivo Municipal

Última atualização: 22/10/2020 12:00:00

O Conselho das Entidades Empresariais do Extremo Oeste
realizou, na noite de quinta-feira (22), o Debate Eleições 2020, com candidatos
a prefeito de São Miguel do Oeste. O evento, criado com o fim de contribuir com
democracia e o futuro do município, foi transmitido ao vivo na fan page da Associação Empresarial de
São Miguel do Oeste (Acismo) e sediado no Auditório do Centro Empresarial
Andrômeda. No local, além dos candidatos: do PT, Adilson Pandolfo, da coligação
“São Miguel Acima de Tudo” (MDB-PL-PSDB), João Grando, e o candidato da
coligação “Pra Frente São Miguel” (PSD-REPUBLICANOS-PDT-PSB-PSL-DEM), Wilson
Trevisan, estavam apenas assessores, representantes de entidades e equipe
técnica.

O debate foi dividido em quatro blocos. No primeiro, os postulantes à Administração
Municipal tiveram três minutos para se manifestar sobre o documento com as
solicitações das entidades. Na sequência, cada um teve cinco minutos para
apresentar seu plano de governo e as ações para o desenvolvimento econômico do
município.

No segundo bloco, os candidatos responderam a três perguntas
formuladas pelas entidades: a primeira relacionada ao Programa de
Desenvolvimento Econômico Local (DEL), projeto que visa instituir o modelo de
gestão para contribuir para o desenvolviment7o da cidade, unindo iniciativa
pública e privada para garantir a continuidade dos projetos de interesse da
comunidade, em prol do desenvolvimento econômico sustentável do município. O
DEL é um projeto que tem continuidade por força de Lei, garantindo que, na
troca de futuros governos, tenha continuidade. As entidades entendem que é primordial
para São Miguel do Oeste.

A segunda pergunta abordou o fato de São Miguel do Oeste não
possuir saneamento básico e há muitos anos sofrendo com falta de águas, sistemas
administrados pela Companhia de Catarinense de Águas e Saneamento (CASAN).

A última questão abordou a recuperação do movimento
econômico, onde as Entidades cobram a nomeação de um secretário de
Desenvolvimento Econômico que conheça o mercado e seja do setor produtivo.

No terceiro bloco, os candidatos responderam questionamentos
enviados por empresários da cidade, encaminhadas à Acismo e serão sorteados
pelo próprio candidato. O tempo foi de três minutos para a resposta e cada
candidato respondeu a três perguntas

No quarto bloco, candidato perguntou ao outro com tema
livre. Os tempos foram de um minuto para perguntar, dois minutos para responder
e um minuto para replica. Eles ainda tiveram
três minutos para as considerações finais.

As regras e perguntas foram encaminhadas com antecedência às
coligações e a ordem de participação dos candidatos definida por sorteio pouco
antes do início. Ainda, o debate seguiu
as normas previstas em portarias e decretos para evitar o contágio pela
Covid-19, como por exemplo, o uso de máscaras, álcool em gel, o distanciamento
entre os convidados e assessores e demais cuidados que o momento exige.

“Foi um evento positivo para a democracia do município e
organizado por todas as entidades, afim de ouvir os planos de cada candidato. O
papel das entidades é de fomentar o crescimento e desenvolvimento da classe,
porém as políticas públicas são essenciais para a efetivar os projetos
futuros”, disse o presidente da Acimo, Daniel Rodrigo de Souza.

O Conselho das Entidades é formado pela Acismo, CDL,
Sindicomércio, FIESC, Assenar, Sindialimentação, Sindivestuário, FCDL/SC,
Sindimecanicas, Sinduscon, Fecomércio, Sindicont, Delegacia Regional – CRC,
Sindigráficos, ACATS, Sindicato dos Produtores Rurais.

Cobrança

Os candidatos ainda receberam uma lista com 16 reivindicações
em diversos setores e demanda do município:

1) Educação

Notável baixo nível de qualidade do ensino, com alunos
chegando ao ensino superior com absoluta dificuldade de interpretação de texto
e sem preparação para o mercado. Alunos sem perspectiva de trilhar uma carreira
definida, gerando baixa perspectiva pessoal e interesse no desenvolvimento em
áreas técnicas.

Necessidade de maior preocupação com a qualidade do ensino
fundamental e básico, permitindo ao final dos mesmos o aluno ter formação
PROFISSIONAL. Incentivo à criação de escolas técnicas e à criação de um
incubatório empresarial.

02) Saúde

Necessidade de aumento das especialidades e aumento do
número de leitos do Hospital Regional Teresinha Gaio Basso, evitando com isso a
famosa “ambulancioterapia”.

Necessidade de ampliação dos serviços relacionados à
oncologia, bem como complementação de especialidades ainda não existentes.
Viabilizar a aproximação da UPA com a estrutura do HRTGB, para maior sintonia
ou administração conjunta das estruturas.

03) Segurança

Manter os investimentos no meio urbano e intensificar a
atenção à área rural, com incentivo ao uso de aplicativo para socorro e
monitoramento de segurança no interior da cidade

04) Ponte
Internacional do Paraiso / Passo Rosales

Necessidade de melhoramento das condições de regularização
do fluxo de turistas, alfandegamento para passagem de cargas e fortalecimento
das tratativas com países vizinhos para viabilização do corredor do milho e
corredor de importação e exportação das
demandas de produtos catarinenses;

05) Aeroporto

Falta de condições do aeroporto de São Miguel do Oeste para
voos regulares.

Necessidade de viabilizar o uso do aeroporto com
alongamento, alargamento, regionalização e instrumentalização do mesmo;

06) Saneamento
básico

Necessidade urgente de estruturar a cidade para a correta
destinação do esgoto. Denúncia do débito, de muitos anos, da Casan com o
município e região quanto ao saneamento básico. O esgoto de umas cidades é
captado por outras para fornecimento de água às populações. Com base no marco
regulatório, privatizar ou municipalizar o serviço de água e esgoto.

07) IMA

Demora inaceitável para liberação de licenciamentos de
projetos empresariais, ainda sob responsabilidade do IMA.

Necessidade de adoção de auto declaração para posterior
fiscalização do IMA e cobrança para aumento de produtividade dos técnicos;

08) Infraestrutura

Lastimável a situação da BR 163 e das BR 282 e BR 158.

Necessidade de atuação dos representantes políticos para
soluções urgentes.

Atenção para a rede viária estadual via DEINFRA. Manutenção
permanente das vias urbanas e rurais;

Atenção para a revitalização da Willy Barth e manter a
cobrança constante ao DNIT e representantes políticos da região pela execução
do contorno viário.

09) Desenvolvimento
Industrial, Comercial e de Serviços

Necessidade de desburocratização e simplificação dos
processos de implantação de empresas em nosso município, bem como, capacitação
de empresários e trabalhadores.

Urgência em uma política forte de incentivos à instalação de
empresas novas e de fortalecimento das existentes.

Programa especial para recuperação do nosso movimento
econômico.

Indicação do(a) secretário(a) de desenvolvimento econômico a
cargo das entidades produtivas, permitindo a nomeação de um secretário técnico
e bem capacitado, com criação de orçamento claro e disponível para a pasta.

Criar área industrial e de comércios regionais em faixa ao
longo das BRs 163 e 282 (SMO/Guaraciaba, SMO/Descanso, SMO/Maravilha, e
SMO/Paraiso), com a declaração da ára como de interesse industrial. Revisão da
Lei municipal de incentivos a empreendimentos empresariais.

Revisão da legislação municipal sobre a emissão de alvarás,
com possibilidade de sua dispensa, conforme já realizado por outros municípios.

10) Agricultura

Atenção especial à agricultura familiar, desburocratizando e
simplificando os processos de implantação de pequenas agroindustriais. Atenção
especial, via Cidasc, para a questão sanitária animal. Atenção especial, via
EPAGRI, para o aumento da produtividade e qualidade no campo. Incentivos fortes
à instalação de granjas de aves, suínos, gado de corte e agroindústrias de
todos os portes.

11) Turismo

Incentivo forte às iniciativas de turismo local e regional.

12) Coleta
seletiva de lixo

Implementação de uma verdadeira coleta seletiva de lixo,
onde os materiais não sejam misturados, permitindo com isso a educação da
população para a separação dos rejeitos, com a implementação da estrutura
necessária para acondicionamento e recolha.

13) Arborização
urbana e rural

Incentivo à melhoria da arborização urbana e rural, com a
reativação do viveiro municipal e cobrança da arborização dos passeios.

14) DEL

Incentivo a implantação do DEL em São Miguel do Oeste. A
eficiência deste programa é reconhecida em diversos municípios de Santa
Catarina, onde a população é envolvida nas decisões sobre o desenvolvimento do
município, com aplicação de um planejamento a longo prazo, com força de Lei.

15) Centro
Tecnológico

Estudo de parceria com governo do estado, com Sebrae, com
federações empresariais, Unoesc, prefeitura e entidades locais para viabilizar
um centro tecnológico. Buscar os incentivos internacionais na área de
tecnologia, como já obtido por outros municípios catarinenses.

16) Lei da
Liberdade econômica

Atualização da legislação municipal, com vistas a acompanhar
os avanços da Lei da Liberdade Econômica, criando um diferencial competitivo ao
município de São Miguel do Oeste, a partir da eficiência, inovação e
simplificação de procedimentos públicos.

CADASTRE-SE

Receba novidades

Loading