​Após iniciativa da Acismo, Câmara aprova projeto que cria Parque Tecnológico

Última atualização: 15/06/2016 12:00:00

Um projeto pioneiro, de iniciativa do Núcleo de Tecnologia
da Informação da Associação Empresarial de São Miguel do Oeste (Acismo), foi
aprovado por unanimidade em primeira votação na sessão da Câmara de Vereadores
na noite desta terça-feira (14).

O Projeto de Lei 53/2016 cria o Citeosc Parque Tecnológico, a
ser instalado na Rua Bombeiro Comunitário Elio Moss, no Bairro Jardim Peperi,
em uma área de mais de 51 mil metros quadrados. O projeto foi enviado ao
Legislativo pelo Poder Executivo, após iniciativa do Núcleo de TI em parceria
com o Governo do Estado.

O presidente do Núcleo de Tecnologia da Informação da
Acismo, Miguel Bocalon, participou da sessão e explicou que o objetivo é ainda
a implantação e desenvolvimento de empresas e instituições focadas nas áreas de
tecnologia da informação, comunicação, biotecnologia, automação, economia verde,
ensino, inovação e apoio à inovação.

Os vereadores apoiaram a iniciativa. A vereadora Maria
Tereza Capra também parabenizou a equipe e elogiou o projeto de lei,
ressaltando alguns artigos importantes da Lei. “Só estamos diante desse projeto
porque o Núcleo da Acismo e a Secretaria de Desenvolvimento se mobilizaram para
que o Governo do Estado trouxessem para cá. Esse projeto de lei obriga as
empresas beneficiadas com incentivos econômicos, que o ISS seja tributado aqui,
isso significa que uma empresa de fora que vier para São Miguel do Oeste, terá
que declarar o município como sua base para que o município tenha o recurso do
tributo”, explicou.

O Parque Tecnológico

Conforme o projeto, o Citeosc se constitui em um complexo
institucional e físico de utilidade pública e interesse social, destinado a
dotar o município de São Miguel do Oeste e região, de uma área capaz de
albergar instituições públicas e privadas destinadas ao desenvolvimento de
atividades de pesquisa, de tecnologias, ensino e produção industrial.

Ainda conforme o projeto, para atender adequadamente seus
objetivos, o Citeosc poderá ser dividido física e institucionalmente em
módulos, bem como poderá ser objeto de parcelamento do solo, desmembramento de
áreas, incorporação imobiliária, abertura de novas matrículas e a instituição
de condomínios civis e edilícios.

O Citeosc será administrado pelo Conselho Técnico
Institucional (CTI), com atribuição deliberativa, composto de 15 membros. Os
conselheiros serão representantes dos Poderes Públicos, da área do conhecimento
e do setor empresarial, entre eles do governos do Estado e do Município, da
Unoesc, da FAI Faculdades, da Horus Faculdades, Senac, Senai, Sebrae, Senar,
Acismo, CDL, Epagri e do Núcleo de TI.

CADASTRE-SE

Receba novidades

Loading