ACISMO, CDL e Sindicomércio solicitam esclarecimentos e soluções da CELESC

Última atualização: 24/01/2012 12:00:00

O apagão de luz ocorrido na região na manhã de sexta-feira, 20/01, por mais de 02 horas, preocupa as entidades empresariais locais. Conforme explicam o presidente da Associação Comercial e Industrial de São Miguel do Oeste (ACISMO), Irton Edgar Lamb e o vice-presidente da Indústria, Moisés Caetano de Oliveira Jr, um ofício foi entregue à CELESC apontando a preocupação da classe empresarial com os altíssimos prejuízos causados em blecautes como o ocorrido, solicitando esclarecimentos e soluções mais urgentes para os problemas e quais são as previsões de investimentos na área na região Extremo-oeste.
    De acordo com Lamb, a ACISMO representa hoje 450 empresas dos setores da indústria, comércio e prestação de serviços, com uma mão de obra que ultrapassa 7mil pessoas, representando a força econômica local. “Um apagão de mais de duas horas causa prejuízos altíssimos para essas empresas e toda a região perde”, aponta. “Na indústria toda a produção fica parada, no comércio não há consumo, pois todos os sistemas de venda e emissão de notas fiscais e cupons dependem de energia, na prestação de serviços, ocorre o mesmo, onde ficam parados bancos, instituições e entidades, sendo esses apenas alguns dos problemas causados”, argumenta o presidente.
    O documento enviado à CELESC foi assinado pelo presidente da ACISMO, Irton Edgar Lamb, pelo presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), José Carlos Gerhardt, e pelo presidente do Sindicomércio, Danilo de Ré.

CADASTRE-SE

Receba novidades

Loading